Sexta-feira, 6 de Janeiro de 2006

POMAR TEU CORPO

Por vezes chego quando menos esperas, minha gelatina desejas e por meu iogurte desesperas. Posso ser sumo enfrascado e tua sobremesa, ou apenas embrulhado para te fazer uma surpresa. Oxalá não te atrases, temos encontro marcado... Na frutaria mais próxima ou na bancada do mercado. Compra de mim um quilo ou mais se tu quiseres, e faz bom proveito do uso que me deres. Pega-me pelo pé e leva-me à boca, ou derrama-me natas se isso te põe louca. Adocica-me com açúcar ou faz de mim batido, acompanha-me com absinto no teu shot preferido. Dá-me um beijo demorado como aqueles do cinema e sente o gosto amorangado desta tua fruta pequena.

 

Ás vezes surjo em pratos decorados, em banquetes de luxúria ou jantares requintados. Apresento-me cortado em pedaços ou rodelas, sou muito ácido para eles mas como um doce para elas. Olha lá não te esqueças, nem faltes ao combinado… Espero por ti numa estufa ou na balança do supermercado. Leva-me por inteiro ou corta metade se te apetecer, e sacia esse apetite na hora de me comer. Podes ter-me em lata e em gomos cristalizados, ou sugar da minha polpa com os lábios molhados. Bebe desta calda e infligi-me uma dentada, ou faz bavaroise se isso te põe excitada. Dá-me um beijo apaixonado se isso te satisfaz e sente o gosto da paixão deste teu servo ananás.

Por vezes apareço antes do tempo, mas sou a tua melhor casta para cada momento. Sou branca ou preta, escolhe uma cor, sou doce ou amarga, escolhe um sabor. Oxalá não te demores, estou à tua espera… Encontras-me sempre no Inverno e despedes-te de mim na Primavera. Vivo num cacho pendurada ou num barril quando pisada, encho-te o copo e a garrafa ou sou seca em uva passa. Colhe-me da vinha e segrega-me a madura, decanta-me nos lábios ou fermenta-me com ternura. Oferece aos deuses, o meu néctar divino, e serás recompensada na senda do destino. Dá-me um beijo súbito ou trinca-me num ápice e eu serei teu súbdito sempre que brindes num cálice.

 

Ás vezes demoro para desabrochar, mas podes colher-me se me queres saborear. Nasço pálida, quase branca, sou magenta de madura, avermelho no ponto e sou ginja na candura. Olha lá não te fiques, estou pronta a provar… Procura pelo meu cocktail no cardápio de um bar. Dentro dum pote sou compota e no boião tua geleia, e num bolo sou teu topo sempre que o orgasmo te anseia. Leva-me ao céu da tua boca e mastiga-me com tesão, engole-me o fruto carnudo e cospe o caroço na mão. Faz amor comigo, pela noite inteira, e amanhã colhe-me de novo na tua cerejeira. Dá-me um beijo atrevido e pendura-me ao ouvido, que eu entrego-te de bandeja estes brincos de cereja.

 

Um abraço...

SHAKERMAKER

 

Dedicado a duas leitoras assíduas do HTW...

Caras Inconfidentes, deliciem-se com a fruta!

  

honky tonk women por shakermaker às 00:00
ISOLAR TEXTO | RECOLHER TEXTO
|

»HTW é um tributo a todas as mulheres

»Mulheres que desejam insultar o shakermaker